Palmeiras 3 x 1 Junior Barranquilla (COL) – 16/05/2018

41261772085_d2b1a25afe_o
Crédito: Cesar Greco/Ag Palmeiras/Divulgação

Com um time misto fomos a campo para defender a melhor campanha da fase de grupos e jogar com a vantagem do mando de campo nos confrontos eliminatórios.

Depois de um primeiro tempo ruim em que Prass operou 2 milagres, voltamos melhores na segunda etapa e vencemos bem. Prass ainda pegou um pênalti duvidoso.

Fechamos a participação na fase de grupos com chave de ouro. Apenas um empate contra o Boca, mas a irregularidade do elenco e as vaciladas em confrontos decisivos deixam o torcedor um tanto preocupado.

Teremos tempo para melhorar esses pontos até o começo das oitavas. Vamos Verdão!

Jogo de volta válido pela 6ª rodada da fase de grupos da Libertadores 2018.

Gols, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 3 X 1 JUNIOR BARRANQUILLA-COL

LOCAL: Allianz Parque, São Paulo (SP)
DATA-HORA: 16/05/2018 – 21h45
ÁRBITRO: Enrique Caceres (PAR)
AUXILIARES: Eduardo Cardozo (PAR) e Juan Zorrilla (PAR)
PÚBLICO/RENDA: 25.787 pagantes/R$ 1.621.350,28
CARTÕES AMARELOS: Emerson Santos (PAL); Piedrahita (BAR)
CARTÕES VERMELHOS: Não houve;
GOLS: Borja (6’/2ºT) (1-0), Borja (14’/2ºT) (2-0), Téo Gutiérrez (21’/2ºT) (2-1) e Borja (23’/2ºT) (3-1).

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Luan, Emerson Santos e Victor Luis; Thiago Santos, Tchê Tchê (Bruno Henrique, aos 26’/2ºT) e Guerra (Deyverson, aos 34’/2ºT); Willian, Dudu e Borja (Hyoran, aos 26’/2ºT). TÉCNICO: Roger Machado.

JUNIOR BARRANQUILLA: Sebastián Viera; Piedrahita, Jonathan Ávila, Jorge Arias e David Murillo (Rafael Pérez, aos 19’/2ºT); Cantillo, Pico, Chará (Luiz Ruiz, aos 33’/2ºT) e Barrera; Yony González (Luis Díaz, aos 9’/2ºT) e Téo Gutiérrez. TÉCNICO: Julio Comesaña.

Verdão leva vantagem contra J. Barranquilla e times colombianos; confira histórico

Departamento de Comunicação

O Palmeiras entra em campo nesta quarta-feira (16) para receber a equipe do Junior Barranquilla-COL, no Allianz Parque, em jogo válido pela 6ª e última rodada da fase de grupos da Conmebol Libertadores. O retrospecto entre os dois clubes é escasso, já que os times se enfrentaram por apenas duas vezes – mesmo assim, o Alviverde leva vantagem no histórico do confronto, com uma vitória e um empate.

Já a lista de duelos do Palmeiras contra agremiações colombianas é maior: são 20 embates diante de clubes do país vizinho, com 13 triunfos alviverdes contra apenas três reveses sofridos, além de outras quatro igualdades no placar. O número de gols do Verdão também supera a quantidade de bolas na rede impostas pelos colombianos. São 39 gols palestrinos contra 22 dos adversários.

O primeiro adversário colombiano do Alviverde foi o Atlético Nacional de Medellín, em 1960, em partida amistosa disputada no estádio Atanásio Girardot (em Medellín-COL), que terminou com a vitória esmeraldina por 2 a 1. Já a primeira partida do Palmeiras especificamente contra o Junior Barranquilla aconteceu em 1997, empate por 2 a 2 no estádio Orange Bowl Stadium (Miami-EUA), pela Reebok Cup.

Na Conmebol Libertadores de 2018, a estreia do Palmeiras aconteceu justamente contra o Junior Barranquilla, no estádio Metropolitano Roberto Meléndez (em Barranquilla-COL): na ocasião, o Verdão bateu o rival por 3 a 0 fora de casa, com gols de Bruno Henrique (duas vezes) e Borja.

Campanha atual

Com a classificação assegurada às oitavas de final da Conmebol Libertadores desde que bateu o Boca Juniors por 2 a 0 em plena La Bombonera, pela 4ª rodada da primeira fase, o Verdão acumula 13 pontos no torneio continental e números impressionantes: é o clube que possui o melhor ataque de seu grupo (11 gols), defesa menos vazada (dois gols sofridos) e ostenta retrospecto invicto na competição (com quatro vitórias e um empate).

Palmeiras vence com hat trick de Borja e avança como melhor time da fase de grupos da Libertadores

Francisco De Laurentiis

Palmeiras é o melhor time da fase de grupos da Libertadores.

Nesta quarta-feira, a equipe alviverde venceu o Junior-COL por 3 a 1, no Allianz Parque, pela última partida do grupo 8, e foi a 16 pontos, não podendo ser alcançada por nenhum outro clube no primeiro estágio da competição.

Com isso, o “Verdão” terá o direito de jogar as partidas de volta dos mata-matas sempre em casa.

O resultado desta quarta-feira também classificou o Boca Juniors-ARG, que goleou o Alianza Lima-PER no outro confronto da chave, ultrapassou a pontuação do Junior e conseguiu ir às oitavas no sufoco.

O nome do jogo no Allianz Parque foi o de Miguel Borja. O camisa 9 fez um segundo tempo espetacular e marcou três vezes em pouco mais de 20 minutos. Ainda foi aplaudido de pé ao ser substituído por Hyoran.

Vale destacar também a partida monstruosa do goleiro Fernando Prass, que ganhou chance de Roger Machado. Ele fez três defesas espetacualres no primeiro tempo e ainda pegou um pênalti no segundo sem nem dar rebote.

Téo Gutiérrez descontou para os visitantes, em posição de impedimento.

Agora, o Palmeiras e o Boca aguardam o sorteio do dia 4 de junho, às 20h (de Brasília), para saber quem serão seus adversários nas oitavas da Libertadores. Os confrontos só serão disputados em agosto, após a Copa do Mundo.

O JOGO

Sem entrosamento, o Palmeiras quase todo reserva quase viu o Junior abrir o placar aos 8 minutos. Em boa trama de ataque, os colombianos chegaram com Teo Gutiérrez livre na área, e o centroavante da seleção “cafetera” tentou encobrir Fernando Prass. Atento ao lance, o goleiro bloqueou e salvou.

A resposta palestrina veio cinco minutos depois, quando Guerra roubou bola na meia-lua e serviu Dudu. O chute do capitão, porém, saiu à esquerda da meta defendida por Viera.

Depois de muito tempo de perde e ganha no meio-campo, os visitantes criaram mais uma oportunidade de perigo aos 23. Árias aproveitou sobra de bola na área e encheu o pé, por cima do travessão de Prass.

Pouco depois, nova resposta do Palmeiras: Guerra e Borja tabelaram e o venezuelano chutou prensado no goleiro rival. Na sobra, o colombiano tentou emendar de voleio, mas errou o alvo.

Nos minutos finais da primeira etapa, o jogo esquentou bastante. Primeiro, Téo Gutiérrez mandou um balaço de fora da área e Prass fez defesa sensacional. Na sequência do lance, Murillo recebeu cruzamento na área e cabeceou forte, no canto, mas o goleiro do “Verdão” fez mais um milagre e salvou.

O Palmeiras mais uma vez deu a resposta na sequência: aos 40, Dudu recebeu enfiada de bola e tentou tirar de Viera, mas o goleiro deslizou e travou. Em seguida, Guerra invadiu a área e tentou achar Borja na área. O arqueiro do Junior saiu de maneira arrojada e evitou que a bola chegasse ao camisa 9.

No segundo tempo, o time de Roger Machado voltou bem mais ligado e quase abriu o placar aos 4 minutos: Tchê Thcê disparou um lindo chute de esquerda de fora da área e acertou o travessão de Viera, que só observou.

O gol foi ficando maduro e saiu logo na sequência: em boa chegada pela esquerda, os alviverdes insistiram, insistiram e insistiram até que Borja conseguiu acertar um chute de virada para mandar para as redes.

No lance seguinte, porém, o árbitro Enrique Cáceres viu pênalti de Luan em Téo Gutiérrez e o Junior teve a chance para empatar. Só que na meta palestrina havia Prass, um especialista. Ele pulou certo e agarrou a cobrança de Barrera.

E, no contra-ataque, quase o “Verdão” amplia: Mayke ajeitou de cabeça e Borja chegou batendo de primeira. Seria um golaço, mas Viera fez um milagre e conseguiu impedir o segundo gol dos anfitriões na partida.

Mas o camisa 9 estava on fire, e o seu segundo não demorou a sair. Prass iniciou a jogada com um chutão, Willian dominou bonito e deu de presente para o matador, que encobriu Vieira com um leve toque e anotou um lindo gol.

O Junior, então, partiu para o tudo ou nada e conseguiu diminuir. As 21, Chará recebeu na direita e cruzou para Teo Gutiérrez, impedido, empurrar para a rede. O bandeirinha nada marcou e o árbitro acabou validando o lance.

Mas não deu nem tempo dos visitantes se animarem: logo na sequência, Borja aproveitou levantamento de Guerra na área e fuzilou Viera com um chutaço de perna esquerda para completar seu hat trick.

Na sequência, Roger Machado substitiu o gringo, que foi aplaudido de pé pelos torcedores. Hyoran entrou no seu lugar. Ao mesmo tempo, Tchê Tchê deu vaga a Bruno Henrique.

Dudu ainda teve chance de transformar a vitória em goleada, mas seu chute passou raspando a trave.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.