Palmeiras 2 x 1 Coritiba – 24/09/2016

29277271883_f2009f21dc_o
O jogador Leandro Pereira, da SE Palmeiras, comemora seu gol contra a equipe do Coritba FC, durante partida válida pela vigésima sétima rodada, da Campeonato Brasileiro, Série A, na Arena Allianz Parque (Foto: Cesar Greco).

Depois de um primeiro tempo consistente mas sem conseguir furar o bloqueio adversário, mudamos no intervalo e logo em seguida foi colhido o primeiro fruto: 1 a 0.

Mantivemos a pegada e numa jogadaça ensaiada de cobrança de falta fizemos o 2º. O adversário deu uma reagida e descontou.

Seguimos na liderança, para desespero de muitos (da imprensa). Agora é manter a pegada séria para mais 11 decisões.

Jogo válido pela 27ª rodada do Brasileirão 2016.

Gols, melhores momentos, jogo completo.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 1 CORITIBA

Local: Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data-hora: 24/09/2016, às 16h
Árbitro: Caio Max Augusto Vieira (CBF-RN)
Auxiliares: Flavio Gomes Barroca e Vinicius Melo de Lima (ambos de RN)
Público/renda: 30.962 presentes / R$ 2.202.282,76
Cartões amarelos: Dudu (Palmeiras); Iago, Bareiro, Edinho (Coritiba)
Gols: Leandro Pereira, 5’/2ºT (1-0); Mina, 11’/2ºT (2-0); Iago, 30’/2ºT (2-1)

PALMEIRAS: Jailson; Jean, Mina, Vitor Hugo e Egídio; Tchê Tchê e Moisés; Erik (Leandro Pereira – intervalo), Dudu (Rafael Marques – 37’/2ºT) e Róger Guedes (Thiago Santos – 23’/2ºT); Gabriel Jesus. Técnico: Cuca.

CORITIBA: Wilson; Walisson Maia, Bareiro, Juninho e Juan; Edinho (Alan Santos – 34’/2ºT), João Paulo, Yan (Felipe Amorim – 7’/2ºT) e González (Evandro – 7’/2ºT); Kazim e Iago. Técnico: Paulo César Carpegiani.

Há 20 anos, Palmeiras goleou Coritiba por 5 a 0 no Palestra Italia; relembre

Felipe Krüger
Departamento de Comunicação
23/09/2016 – 18:47

Adversário deste sábado (24), o Coritiba cruzou o caminho palmeirense há 20 anos, também pelo Campeonato Brasileiro, e sofreu uma sonora goleada da equipe do Palestra Italia – 5 a 0, com gols marcados por Luizão (3), Djalminha e Rincón.

Na partida disputada em 1996, o Verdão, sob comando do técnico Vanderlei Luxemburgo, foi a campo com Marcos; Cafu, Claudio (Sandro), Cléber e Júnior (Fernando Diniz); Leandro, Galeano, Rincón, Elivélton e Djalminha (Leonardo); Luizão.

O triunfo ficou marcado na história como a maior goleada do retrospecto de jogos diante do Coritiba. Em 1957, no entanto, o Verdão chegou a marcar sete gols sobre o clube do Paraná em partida amistosa, mas foi vazado quatro vezes. Em 1957, completando a trinca de principais goleadas do confronto, o Alviverde venceu por 6 a 2, em duelo válido pelo Torneio de Inauguração do Pacaembu.

Histórico de jogos

No retrospecto geral do confronto entre Palmeiras e Coritiba, a vantagem é palestrina: são 56 jogos, 21 vitórias do Verdão, 17 empates e 18 reveses. O Alviverde marcou 81 gols e foi vazado 71 vezes.

No Palestra Italia, contando o período do reformado Allianz Parque, o histórico aponta 13 partidas, com sete vitórias da equipe paulista, quatro empates e apenas dois triunfos dos paranaenses.

Pós-Jogo

Fonte: Verdazzo

O Verdão venceu o Coritiba em casa na abertura da 27ª rodada do Brasileirão e mais uma vez jogou toda a responsabilidade para os principais perseguidores. Diante de mais de 30 mil pessoas no Allianz Parque, o time soube superar um primeiro tempo ruim e chegou aos gols no segundo tempo, com grande partida de Dudu. O time agora se prepara para enfrentar o Grêmio pela Copa do Brasil, quarta-feira, em Porto Alegre, antes de voltar o foco no Brasileirão – o time pega o Santa Cruz, na segunda-feira, no Arruda.

PRIMEIRO TEMPO

Cuca veio com a formação tradicional no ataque, com Gabriel Jesus enfiado, Dudu armando e Roger Guedes e Erik abertos. O Coritiba congestionou bastante a intermediária e não permitiu que o Palmeiras trocasse os passes necessários para furar sua defesa. Isso se deu, em parte, pelo mau desempenho técnico de Roger Guedes e sobretudo de Erik. Mas mesmo assim o Palmeiras chegava perto, a defesa do Coxa nos parava com faltas ou mandando a bola para fora, o que sempre gerava uma jogada pelo alto.

E foi assim que o Palmeiras criou suas chances no primeiro tempo. Jean e Egídio bateram de fora, mal, bolas rebatidas após cruzamentos. Moisés também conseguiu uma finalização de longe após bom passe de Dudu.

Gabriel Jesus tinha dificuldades em achar seu espaço e a defesa paranaense levava vantagem, conseguindo deixa-lo em impedimento em várias jogadas. Enquanto isso, o péssimo juiz Caio Max Augusto Vieira amarrava o jogo de forma irritante, marcando todas as possíveis faltas para o Coritiba, e deixando seguir os lances duros em cima dos jogadores do Verdão.

Somente aos 46 nosso ataque funcionou: depois de lindo passe de Moisés, Gabriel Jesus saiu na cara de Wilson, mas com pouco ângulo; a finalização veio por baixo, e facilitou para o goleiro do Coxa. É o tipo de bola que tem que enfiar uma bica por baixo da bola e estufar a rede de cima do gol. Fim de um mau primeiro tempo do Verdão.

SEGUNDO TEMPO

Para o segundo tempo, Cuca mandou a campo Leandro Pereira no lugar de Erik, e o time ficou melhor posicionado com Gabriel Jesus jogando de frente para o gol e Leandro segurando os zagueiros. Logo a dois minutos, Moisés bateu lateral da direita; Mina desviou; Dudu resvalou de cabeça no meio e a bola sobrou pelo alto para Gabriel Jesus, que testou firme, tirando de Wilson, mas a bola explodiu no travessão.

Aos cinco, a pressão deu resultado: Dudu bateu falta na entrada da área; a zaga espanou de cabeça e a bola foi em direção ao goleiro; Leandro Pereira disputou por cima, de forma absolutamente legal, e ganhou o lance do preguiçoso goleiro Wilson, e assim testou para o gol. O goleiro apostou demais que o juiz marcaria a falta só dele tocar em Leandro e cair no chão. Merecido gol do camisa 30, que comemorou muito e calou a todos os seus críticos.

O estádio se incendiou e a pressão do Verdão aumentou. O Coritiba só conseguia parar nossas jogadas na base das faltas, e aos 11 o Palmeiras fez o segundo numa belíssima jogada ensaiada: quando todos esperavam mais uma bola aérea, Dudu rolou para Egídio, que tocou por baixo para Moisés na entrada da área, e o camisa 28 deu um belo toque de primeira para a infiltração de Roger Guedes na linha de fundo; ele deu um tapa rasteiro para o meio onde havia quatro jogadores do Palmeiras para concluir; Mina estava no lugar certo e fez mais um gol com a camisa do Verdão, DE PERNA ESQUERDA.

O Palmeiras continuou em cima do Coritiba e parecia estar mais próximo do terceiro do que o Coxa de diminuir. Mas aos 22, Juan tabelou com Felipe Amorim, se infiltrou na área mas Vitor Hugo chegou chutando tudo; a bola subiu e caiu na rede, por trás do travessão.

Cuca então tirou Roger Guedes para colocar Thiago Santos e abafar as investidas do Coxa. E o Palmeiras continuava em cima: aos 25, Tchê Tchê percebeu Gabriel Jesus livre no lado esquerdo e meteu um balão na área; o camisa 33 conseguiu um lindo desvio de cabeça e a bola entraria no cantinho se Wilson, finalmente, não tivesse feito uma grande defesa.

Aos 30, Felipe Amorim, com surpreendente liberdade, lançou para a corrida de Evandro; Vitor Hugo chegou na cobertura enquanto Jailson já saía para abafar; a bola sobrou para Yago, fora da área, e ele conseguiu um bom toque pelo alto para tirar de Jailson e diminuir o placar.

O Palmeiras não se abalou com o gol e continuou mandando no jogo, sem correr riscos. Aos 35, a jogada mais bela da partida: Dudu driblou nada menos que CINCO jogadores do Coritiba e abriu na esquerda para Gabriel Jesus, que cortou o zagueiro para o meio e bateu cruzado, mas a bola saiu a um palmo da trave esquerda de Wilson. Seria um gol de placa. Um minuto depois, Moisés entrou driblando e tocou para Tchê Tchê, que emendou de canhota, mas errou o alvo. Foi o último lance de perigo do jogo. O Coritiba tentou se aproximar da área do Palmeiras nos últimos dez minutos, mas não tinha capacidade para criar qualquer chance de gol.

FIM DE JOGO

Apesar do mau primeiro tempo, foi uma partida de ampla superioridade do Palmeiras. O time não correu risco algum, apesar do placar apertado, e assim venceu mais uma etapa do campeonato. A vitória deixa o Verdão a quatro pontos do vice-líder, que entrará em campo mais uma vez pressionado – qualquer resultado que não seja a vitória dará ao Palmeiras uma rodada de margem para tropeço.

O que dá muita satisfação é ver o time focado, jogando sério, ganhando dos grandes e dos pequenos, em casa e fora, disputando cada jogo como se deve para marcar três pontos. Fazendo assim, não tem juiz, tribunal ou imprensa que nos derrube. Faltam onze jogos. VAMOS PALMEIRAS!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.