Chapecoense 1 x 0 Palmeiras – 30/11/2013

85536
O Palmeiras busca um gol, mas em casa, a Chapecoense vai conquistando a vitória. Divulgação Chapecoense

Chegou ao fim o calvário da série B.

Com um mistão fomos a Chapecó enfrentar a equipe local. Jogamos bem mas acabamos superados num gol de pênalti originado num toque de mão.

Assim como em todas as partidas em que precisou recorrer a equipe reserva nesta série B, mais uma vez o Palmeiras não conseguiu se impor e saiu de campo derrotado.

Foram 90 minutos de futebol leve. Palmeiras e Chapecoense jogavam soltos, sem abusar da violência, porém com seriedade.

Que venha 2014 com menos tensão que esses 2 últimos anos.

Gol, melhores momentos.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Condá, Chapecó (SC)
Data e hora: 30/11/2013, às 16h20 (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner Magalhães (RJ)
Auxiliares: Edilson Pereira (TO) e Marco Antônio Moreira (GO)
Público e renda: 9.251 pagantes / R$ 123.100,00
Cartões amarelos: Athos, Rafael Lima, Glaydson, Fabinho Gaúcho, Wanderson e Neném (CHA); Wendel e Juninho (PAL);

GOLS: Bruno Rangel, aos 44’1ºT (1-0);

CHAPECOENSE: Nivaldo, Alemão (Glaydson, 22’1ºT), Rafael Lima, Dão e Wanderson; Fabinho, Paulinho Dias, Diego Felipe e Athos (Danilinho, 10’2ºT); Potita (Neném, 34’2ºT) e Bruno Rangel. Técnico: Gilmar Dal Pozzo

PALMEIRAS: Fábio, Wendel (Bruno Oliveira, Intervalo), Tiago Alves, Thiago Martins e Juninho; Eguren (Ananias, 6’2ºT), Renatinho, Charles (Ronny, 26’2ºT) e Felipe Menezes; Serginho e Alan Kardec. Técnico: Gilson Kleina.

Mistão joga melhor mas é superado em Chapecó
Time de Kleina cria chances, não aproveita e perde para a Chapecoense com um gol de pênalti.

O jogo começou movimentado em Chapecó, com Palmeiras e Chapecoense buscando o gol. Antes dos cinco minutos as equipes já haviam finalizado três vezes; os mandantes uma e o time do técnico Gilson Kleina duas. A melhor delas, porém, foi da Chapecoense, com Bruno Rangel, já que Fábio foi mais exigido.

A partir dos 5 minutos só deu Palmeiras. Aos 7 Serginho arriscou da entrada da área, nas mãos do goleiro. Dez minutos depois o meia arriscou de longe, numa cobrança de falta, para fora. Aos 20 Felipe Menezes deixou Alan Kardec em ótima condição para balançar a rede, mas o camisa 14 chutou em cima de Nivaldo.

Aos 33 Juninho foi à linha de fundo e cruzou para Eguren, que de cabeça mandou por cima. Aos 37 Serginho pegou uma sobra da entrada da área e fuzilou, mas Dão interceptou o chute, que tinha direção. Aos 40 Felipe Menezes cobrou escanteio, o goleiro furou mas Eguren não alcançou. A Chapecoense só voltou a levar perigo aos 41 minutos, quando Fabinho soltou uma bomba à esquerda de Fábio.

A partida caminhava para o intervalo quando aos 43 minutos, num cruzamento vindo da direita, a bola bateu na mão de Juninho. Pressionado pela torcida, o árbitro assinalou o pênalti e Bruno Rangel converteu: 1 a 0. Não houve tempo para reação.

Na etapa final o Verdão voltou com Bruno Oliveira no lugar de Wendel e logo aos 6 minutos Eguren teve de ser substituído após sentir uma lesão muscular. Ananias entrou em seu lugar e o time ficou ainda mais ofensivo.

Recuada, a Chapecoense explorava os contra-ataques, e em dois deles quase ampliou com Potita, em dois chutes colocados da entrada da área que passaram perto da trave esquerda de Fábio. Aos 14 Juninho cruzou para Serginho finalizar de primeira, mas a bola bateu num zagueiro e saiu.

Todo aberto, o Palmeiras oferecia espaços aos mandantes. Aos 16 minutos Fabinho cruzou e Potita desviou de cabeça, assustando o goleiro Palmeirense. O Palmeiras só foi responder aos 23, quando Serginho bateu com desvio, para fora. Aos 24 Charles experimentou de longe, por cima.

O gol de empate poderia ter saído aos 26 minutos, quando Alan Kardec recebeu lançamento, fintou seu marcador e de canhota bateu para fora. A melhor opção seria tocar para Ananias, que estava livre. No lance seguinte Kleina arriscou todas as fichas sacando Charles e mandando Ronny a campo.

Um minuto depois de entrar Ronny finalizou, mas o chute saiu fraco, nas mãos do goleiro. Aos 32 Felipe Menezes cobrou escanteio e Kardec escorou para fora. Aos 41 Ronny voltou a arriscar, mas de novo parou no goleiro. Aos 43, após outro levantamento do camisa 40, Tiago Alves carimbou a trave. Não era dia. Assim, com derrota injusta, foi a despedida do Palmeiras na maldita Série-B.

Agora o Verdão entra em férias e só volta a atuar em 19 de janeiro, na estreia do Paulistão, contra o Linense.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.