Palmeiras 1 x 1 Grêmio – 21/06/2012

160567-970x600-1
Foto: Julia Chequer – 21.jun.2012/Folhapress

Com Valdívia inspirado seguramos o adversário e carimbamos o passaporte para a finalíssima.

O jogo foi nervoso como uma decisão de vaga geralmente é.  Saímos atrás do marcador mas Valdívia fez linda jogada com Juninho e foi às redes. Depois disso mais confusão do que jogo.

Vamos à final contra o Coritiba (a vexatória eliminação do ano passado não está esquecida) em busca do segundo título da competição.

Jogo de volta válido pela semifinal da Copa do Brasil 2012.

FICHA TÉCNICA

Local: Arena Barueri, Barueri (SP)
Data: 21/06/2012, quinta-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (Fifa-MG)
Assistentes: Marcio Eustáquio Santiago (Fifa-MG) e Guilherme Dias Camilo (MG)
Cartões amarelos: Daniel Carvalho, Barcos e Valdívia (Palmeiras) e Gilberto Silva e Kleber (Grêmio)
Cartões vermelhos: Henrique (Palmeiras) e Rondinelli e Edilson (Grêmio)
Gols: Palmeiras: Valdívia, aos 28 minutos do segundo tempo
Grêmio: Fernando, aos 21 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Bruno; Artur, Thiago Heleno (Leandro Amaro), Maurício Ramos e Juninho; Henrique, Márcio Araujo, João Vitor (Patrik) e Daniel Carvalho (Valdívia); Mazinho e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Grêmio: Victor; Edílson, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza (Rondinelly), Léo Gago e Marco Antônio (André Lima); Kleber e Marcelo Moreno (Miralles)
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

COM VALDIVIA DECISIVO, PALMEIRAS ELIMINA O GRÊMIO E VAI À FINAL

Após duas semanas sem jogar, Mago começa no banco, entra, chama a ‘responsa’, empata o jogo e coloca o Verdão na decisão contra o Coritiba

por Diego Ribeiro

Bem ao estilo da histórica rivalidade entre Palmeiras e Grêmio, o Verdão conseguiu superar o Tricolor gaúcho e, com um empate por 1 a 1 na noite desta quinta-feira, em Barueri, se garantiu na decisão da Copa do Brasil. Com ampla vantagem na disputa devido ao bom resultado conquistado em Porto Alegre – vitória por 2 a 0 – o time comandado pelo técnico Luiz Felipe Scolari suportou a pressão dos visitantes, que abriram o marcador com Fernando, no segundo tempo.

Apesar do bom volume de jogo gremista, o Palmeiras se manteve vivo na competição com um belo gol de Valdivia. Na comemoração, o camisa 10, que recentemente viveu drama pessoal após ser vítima de um seqüestro-relâmpago em São Paulo, comemorou bastante, tirou a camisa e correu para abraçar Felipão no banco de reservas.

Depois do empate, o Tricolor gaúcho perdeu a cabeça e também o lateral-direito Edilson e o meia Rondinelly, expulsos. Após confusão, o zagueiro Henrique também recebeu o cartão vermelho e será desfalque na primeira decisão.

Pelo Campeonato Brasileiro, as duas equipes voltam a campo no próximo domingo. Pela sexta rodada, o Palmeiras faz o clássico paulista contra o Corinthians, no Pacaembu, às 16h. No mesmo horário, o Grêmio recebe o Flamengo, no estádio Olímpico.

Chuva, divididas e nervosismo em Barueri

O trânsito que atrapalhou a vida do paulistano no início da noite desta quinta-feira prejudicou a chegada da torcida à Arena Barueri. A carga total de ingressos estava esgotada desde segunda-feira, mas, no começo do jogo, havia muitos espaços nas arquibancadas. Quem se atrasou não entendeu quando não viu Marcos Assunção entre os titulares – vetado nos vestiários por causa de dores no joelho – e perdeu também momentos de tensão no início do duelo.

Bem ao clima das marcantes decisões da década de 1990 envolvendo Palmeiras, Grêmio, Luiz Felipe Scolari e Vanderlei Luxemburgo, a partida começou com os ânimos exaltados. Logo aos cinco minutos, o argentino Hernán Barcos ficou no gramado reclamando de dores nas costas, depois de jogada com dois defensores do Tricolor gaúcho. Revoltado com a postura do palmeirense, Werley foi tirar satisfação e acabou iniciando confusão. Depois de alguns empurrões entre o zagueiro gremista e Daniel Carvalho, e muita discussão, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro mostrou cartão amarelo para ambos.

Quatro minutos mais tarde, após dividida entre Artur e Pará, na direita do ataque alviverde, os dois atletas se encararam e trocaram xingamentos. Enquanto isso, nas arquibancadas, comemoração mais animada a cada falta recebida por Kleber ou a cada desarme com sucesso da marcação alviverde.

Com a bola rolando, o Palmeiras, mesmo jogando com a vantagem de poder perder por até um gol de diferença, se mostrou mais perigoso nos primeiros minutos e teve duas boas chances de abrir o marcador.

Logo aos dois minutos, Mazinho fez boa jogada individual pela direita e cruzou na medida para Daniel Carvalho, que de carrinho não conseguiu completar para o gol. Aos 17, a melhor chance do primeiro tempo. Maurício Ramos apareceu nas costas da defesa tricolor e completou de cabeça ótimo cruzamento de João Victor, obrigando Victor a fazer ótima defesa com os pés.

O Grêmio só acordou depois dos 27 minutos, quando Souza assustou Bruno com um chute de longa distância. Aos 34, Pará recebeu na esquerda e achou Marco Antônio livre, na entrada da grande área. O meia bateu de primeira, rasteiro, para difícil defesa de Bruno.

Com o Palmeiras acuado e sem conseguir fazer a bola parar no campo de ataque, o Tricolor gaúcho cresceu na partida e pressionou nos minutos finais. Na melhor chance, Kleber aproveitou bobeira de Maurício Ramos, dominou na grande área, mas acabou travado por Artur na momento do arremate.

Valdivia sai do banco para definir classificação alviverde

Precisando de gols para levar, pelo menos, a decisão para a cobrança de pênaltis, o Grêmio manteve o espírito do fim da primeira etapa e voltou para o segundo tempo tentando pressionar o Verdão. Com o meia Rondinelly no lugar do volante Souza, Luxemburgo apostou no volume de jogo de seu meio-campo para encurralar o Palmeiras em sua defesa.

O único problema foi a chuva, que voltou a cair em Barueri, fato que prejudicou o gramado e o toque de bola das duas equipes. Com pouco espaço por baixo, o Tricolor gaúcho passou apostar nas jogadas aéreas, principalmente depois da entrada de André Lima no lugar de Marco Antônio.

Com pouco futebol, a solução encontrada pelas duas equipes foi apostar na vontade. Enquanto o Grêmio tentava pelo alto, o Verdão se posicionou com eficiência na defesa e passou a explorar os contra-ataques e o nervosismo do adversário. Para tentar diminuir a pressão dos visitantes, e tentar fazer a bola sair do campo de defesa, o técnico Luiz Felipe Scolari apostou na entrada do chileno Valdivia no lugar de Daniel Carvalho.

A aposta de Vanderlei Luxemburgo deu certo aos 21 minutos. Edilson cobrou falta da esquerda com perigo, Bruno bateu roupa e soltou nos pés de Fernando, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo da rede e aumentar ainda mais tensão da partida: 1 a 0 para o Grêmio.

Com o Tricolor gaúcho cada vez mais se lançando ao ataque, o torcedor do Palmeiras só conseguiu respirar aliviado aos 28 minutos. Valdivia puxou contra-ataque pela esquerda, deu bom drible no marcador e passou para Juninho. O lateral do Verdão devolveu para o chileno, que dentro da grande área tocou de primeira, com categoria, sem dar chance para Victor.

Nervoso, o Grêmio perdeu a cabeça e a classificação aos 34 minutos. Hernán Barcos puxou ótimo contra-ataque e só foi parado por Rondinelly, que deu um carrinho por trás no palmeirense e acabou expulso pelo árbitro. Na sequência do lance, Edilson deu um soco no rosto do zagueiro Henrique e também recebeu o cartão vermelho. Depois de seis minutos de paralisação, e muita conversa entre o trio de arbitragem, Ricardo Marques Ribeiro resolveu também dar cartão vermelho para o palmeirense antes de reiniciar a partida.

Logo na primeira jogada, Valdivia cobrou falta com categoria e acertou a trave. Mas, com ótima vantagem e um a mais em campo, a vaga ficou mesmo com o Palmeiras. Sem saber qual será o futuro– o Mago vai discutir se continua no clube depois das finais da Copa do Brasil –, o camisa 10 do Verdão devolveu a alegria ao torcedor alviverde e recolocou o clube na decisão de um campeonato nacional após 12 anos de espera.

Sem Grêmio ou São Paulo na disputa, o título da competição já está nas mãos de um Verdão. Resta agora saber se o vencedor será o paulista ou o paranaense.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.