Palmeiras 0 x 1 Mirassol – 31/03/2012

24696
Wesley briga pela bola. O técnico Luis Felipe Scolari, que já não poderia contar com o meia chileno Valdivia, que ainda está contundido, deu descanso a Marcos Assunção, Cicinho e Leandro Amaro. Evelson de Freita/AE

Sentindo demais a falta de Valdívia e Marcos Assunção, fizemos mais uma péssima partida e fomos derrotados em casa.

Uma vitória nos daria a liderança provisória do campeonato. A derrota nos deixa na 4ª colocação.

Jogo válido pela 17ª rodada do Paulistão 2012.

FICHA TÉCNICA

Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data: 31/03/2012, sábado
Horário: 18h30 (de Brasília)
Árbitro: Márcio Roberto Soares
Assistentes: Eduardo Vequi Marciano e Maria Eliza Correia Barbosa
Assistentes adicionais: Márcio Henrique de Gois e Edson Reis Pavani e Júnior
Cartões amarelos: Henrique Dias, Fernando Leal (Mirassol)
Público: 8.502 pagantes
Renda: R$ 294,740,00
Gol: Preto, aos 23 minutos do segundo tempo

Palmeiras: Deola; Artur (Chico), Maurício Ramos, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, João Vitor, Wesley (Ricardo Bueno) e Daniel Carvalho (Pedro Carmona); Maikon Leite e Barcos
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Mirassol: Fernando Leal; Samuel, Dezinho, Matheus e Willian Simões; Acleisson, Sérgio Manoel, Alex Silva e Xuxa; Preto (Borebi) e Henrique Dias (Malaquias) (Igor)
Técnico: Ivan Baitello

Palmeiras cria pouco e perde do Mirassol no Pacaembu

Com um futebol burocrático e errando na defesa, time alviverde foi derrotado por 1 a 0

31 Março 2012 | 20h26

Sentindo a falta de Marcos Assunção e Valdivia, o Palmeiras decepcionou sua torcida neste sábado, 31, à noite, no Pacaembu. Com um futebol burocrático e errando muito no setor defensivo, o time do técnico Luis Felipe Scolari foi batido pelo Mirassol por 1 a 0, em jogo válido pela 17.ª rodada do Campeonato Paulista.

A equipe alviverde perdeu uma invencibilidade de 22 jogos ao ser derrotada pelo Corinthians, domingo passado, penou para vencer o Paulista na quarta e agora sofreu mais este revés. Antes líder, o Palmeiras está em terceiro e pode até ser ultrapassado pelo Santos, que tem dois pontos a menos e pula para o terceiro lugar com uma vitória sobre a Portuguesa, domingo.

Até o fim do Paulistão, o Palmeiras ainda pega o Guarani (em Campinas) e o Comercial (em casa). Antes, na quarta, visita o Horizonte, no Ceará, pela segunda fase da Copa do Brasil. Já o Mirassol foi a 21 pontos, em nono, e por mais que tenha chances remotas de ir às quartas de final (tem cinco pontos a menos que o Bragantino, o oitavo), atualmente ocupa a segunda vaga paulista na Série D.

O JOGO

Mal a bola rolou no Pacaembu e já era possível perceber que Marcos Assunção e Valdivia fariam falta. A criação de jogadas sobrou para Daniel Carvalho e Wesley, esse visivelmente sem ritmo de jogo. Para piorar, as duas únicas chances, por mínimas que fossem, caíram justamente nos pés do volante. Uma ele mandou muito longe, e na seguinte preferiu chutar rasteiro, tirando tinta da trave direita do Mirassol.

A segunda destas chances foi aos 15 minutos do primeiro tempo e, dali em diante, o Palmeiras não fez mais nada até o intervalo. Com a zaga alviverde mal postada (Leandro Amaro foi poupado e substituído por Maurício Ramos), o Mirassol tinha espaços para chegar com perigo à meta de Deola.

Foram duas chances claras perdidas pelo time do interior só no primeiro tempo. Aos 21, Serio Manoel saiu na cara de Deola e bateu pelo lado. Depois, aos 36, Henrique Dias cruzou da esquerda e Samuel, sozinho no meio da área, chutou por cima.

O Palmeiras voltou outro time para o segundo tempo. Talvez querendo responder as vaias que ouviu da torcida na saída para o intervalo, foi para cima e ficou perto de abrir o placar. Aos 10 minutos, Wesley arriscou, Fernando Leal deu rebote, Alex Silva quase fez contra no rebote, mas o goleiro salvou de novo. No lance seguinte, novamente Wesley parou em Leal, mas desta vez foi Daniel Carvalho quem perdeu no rebote.

O gol parecia questão de tempo quando Felipão resolveu trocar Artur por Chico. No ataque seguinte do Mirassol, exatamente pelo lado direito da direita, Preto invadiu a área, bateu cruzado, e fez 1 a 0.

Em desvantagem, o Palmeiras se assustou e deixou o Mirassol mandar no jogo. O time do interior teve três boas diversas chances de ampliar, mas em todas parou em Deola. Nos 10 minutos finais, com Pedro Carmona no lugar de Daniel Carvalho, o time da casa foi para a pressão desorganizada, mas só levou perigo uma vez, num chute de Maikon Leite que Fernando Leal defendeu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.